O USO DA ROBÓTICA, GAMES, REALIDADE VIRTUAL E REALIDADE AUMENTADA NO TRATAMENTO DE AUTISMO, DEMÊNCIA, ESQUIZOFRENIA E FOBIA

  • Solange Seléto de Souza Mauro Must University
  • Maria Yvone Chaves Mauro
Palavras-chave: Robótica, Games, Realidade Virtual, Realidade Aumentada, Saúde Mental, Gestão de Qualidade

Resumo

Esse estudo objetiva identificar os benefícios das tecnologias Robótica, Games, Realidade Virtual (RV) e Realidade Aumentada (RA) para o tratamento do Autismo, Demência, Esquizofrenia e Fobia. O método utilizado foi o levantamento bibliográfico nas bases de dados das Plataformas SciELO, Pubmed, Universidade Federal de Goiás, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Universidade Federal de São João Del Rei e Universidade Federal de Uberlândia que embasaram o tema: “Contribuições da tecnologia para tratamentos de desordens mentais”. Foram selecionados cinco artigos científicos, duas dissertações de mestrado, um trabalho de conclusão de curso de especialista, um manual de diagnóstico de transtornos mentais e um ebook elaborados no período de 2010 a 2020, como pertinentes ao estudo. No desenvolvimento verificou-se que a Gestão de Qualidade busca melhorar os cuidados em saúde através da adoção de tecnologias, como a Robótica, os Games, a RV e a RA, que ofereçam recursos para a atenção aos transtornos mentais. As considerações finais desse estudo foram que a Robótica no atendimento a casos de Autismo melhora a comunicação, interação social, imaginação e diminui as condutas estereotipadas; os Games na terapêutica da Demência estimulam funções cognitivas, memória, emoções positivas, interação social, manutenção da funcionalidade e autonomia; a RV na assistência a casos de Esquizofrenia detecta delírios persecutórios e alucinações, avalia fatores predisponentes, promove treinamentos de pacientes para respostas apropriadas frente à situações de estresse, desenvolve a multissensorialidade e atenua o estresse e a RA no tratamento de Fobias auxilia a percepção combinada dos mundos real e virtual para aplicação da dessensibilização sistemática visando a interação social.

Referências

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. Porto Alegre: Artmed, 2014.

AZAR, A. B. Uma proposta de ferramenta para dessensibilização sistemática com apoio de realidade aumentada no tratamento de fobias. 2020. 109 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Biomédica). Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia. Disponível em: <http://clyde.dr.ufu.br/bitstream/123456789/31385/1/PropostaFerramentaDessensibilizacao.pdf> Acesso em 14 de outubro de 2021.

BERNDT, A. Uma arquitetura para desenvolvimento de aplicações gamificadas para suporte ao paciente com Alzheimer. 2017. 229 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Computação). Universidade Federal de Goiás, Goiânia. Disponível em: <https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/7288> Acesso em 12 de outubro de 2021.

BURMESTER, H. Gestão da qualidade em saúde. Revista de Administração em Saúde, v.18, n.70, p.1-4, 2018. Disponível em: <https://cqh.org.br/ojs-2.4.8/index.php/ras/article/view/78/98> Acesso em 7 de outubro de 2021.

FREEMAN, D. et al. Realidade virtual na avaliação, compreensão e tratamento de transtornos mentais. Revista Cambridge University, v.47, n.14, p.2393-2400, 2017. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28325167/> Acesso em 13 de outubro de 2021.

MENDES NETO, F. M. et al. Tecnologias e saúde mental: uma plataforma de jogos digitais para jovens com transtorno de desenvolvimento. Revista Informática na Educação, v.20, n.2, p.258-271, 2017. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/InfEducTeoriaPratica/article/view/67985> Acesso em 8 de outubro de 2021.

OTTONI, A.L.C. Introdução à robótica. I ORCV Olimpíada de Robótica do Campo das Vertentes. Universidade Federal de São João Del Rei, Minas Gerais, MG, Brasil, p. 1-6, 2010. Disponível em: <https://ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/orcv/materialdeestudo_introducaoarobotica.pdf> Acesso em 10 de outubro de 2021.

PINEL, V.; RENDÓN, L. A.; ADROVER-ROIG, D. Robôs sociais como promotores da comunicação em transtornos do espectro autista (TEA). Revista Letras de Hoje, v.53, n.1, p.39-47, 2018. Disponível em: <https://doi.org/10.15448/1984-7726.2018.1.28920> Acesso em 11 de outubro de 2021.

TORI, R.; HOUNSELL, M. S. Introdução a realidade virtual e aumentada. [e-book] Porto Alegre: Editora SBC, 2018. Disponível em: <http://www.de.ufpb.br/~labteve/publi/2018_livroRVA.pdf> Acesso em 10 de outubro de 2021.

WINK, M. G. Jogos e robótica na educação: benefícios para o processo de ensino e aprendizagem na escola rural. 2019. 42 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Especialista em Informática Instrumental). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/213265/001117699.pdf?sequence=1>

Acesso em 9 de outubro de 2021.

Publicado
2021-12-09
Como Citar
Mauro, S., & Mauro, M. Y. (2021). O USO DA ROBÓTICA, GAMES, REALIDADE VIRTUAL E REALIDADE AUMENTADA NO TRATAMENTO DE AUTISMO, DEMÊNCIA, ESQUIZOFRENIA E FOBIA. CADERNO DE PESQUISA APLICADA, 1(3), 1-11. Recuperado de http://isca.edu.br/revista/index.php/cpesqaplic/article/view/62